Contadores do Centro-Oeste Cantadores Celestiais
×
Contadores do Centro-Oeste Cantadores Celestiais
Contadores do Centro-Oeste Cantadores Celestiais
R$ 16,00 FRETE GRÁTIS!
3× de R$ 5,66
vezesparcelatotal
sem jurosR$ 16,00R$ 16,00
R$ 8,36R$ 16,72
R$ 5,66R$ 16,98
Você poderá escolher o número de parcelas ao concluir a compra.

* Isto é uma simulação, verifique o valor final das parcelas no intermediador de pagamentos.

Adicionar ao Carrinho
LITERATURA DE CORDEL, FICÇÃO E HUMOR

LIVRO CORDEL DE LEON DENIR MARTINS.

Essa obra é inédita endereçada a todo o público. Esta literatura privilegia uma riqueza infinita representada pelas artes de nossos artistas regionais que, ora cantando, ora tocando se faz um cordel todo harmonioso, digno de admiração e encanto que traz a literatura popular: chamada de poesia do povo que emprega geralmente a linguagem informal de nossa língua portuguesa.
Leon Denir Pinto Martins, goiano, do Centro-Oeste: maurilândense-rio-verdense rompe as fronteiras entre o imaginário, e mergulha no universo, harmonioso, melódico, e sinfônico da arte musical.
Caros leitores: alunos, acadêmicos e professores de diferentes níveis de ensino não podem ficar sem conhecer essa literatura de cordel.
Vocês encontrarão um excelente e abrangente prefácio sobre esse tipo de literatura, desde seu surgimento e seu enraizamento no Brasil, e tantas outras coisas maravilhosas estão para ser descobertas nas entrelinhas dessa obra.
O autor: Martins, Leon Denir Pinto, porta-se como memórias viva do imaginário, popular, ficção, e humor com XIX Partes, interpostas e interdependentes, Sendo: XI Partes para Cantadores do Centro-Oeste, e VIII Partes para cantadores Celestiais.
O foco concentra-se na literatura oral, os mitos, lendas, contos e frases passadas de geração para geração. Os personagens são simbólicos e representam o belo, o maravilhoso, o encantador e o glorioso celestial.
Conheçam a magia chamada música que está presente nos versos desse fantástico e maravilhoso cordel.

PARTE II

Alô galera!
Eu sou o João da viola
Junto com meus irmãos
Fazemos tremer o chão goiano.
Cantamos até o dia amanhecer.